jusbrasil.com.br
21 de Agosto de 2017

Bela, recatada e...

...O preconceito em uma só matéria!

Bruna Schoembakla, Estudante de Direito
Publicado por Bruna Schoembakla
ano passado

Bela recatada e

Atualmente, uma reportagem da Veja tem deixado as mulheres e também muitos homens extremamente irritados e indignados quando faz uma menção a Marcela Temer como ‘’ bela, recatada e ‘do lar’’, nenhuma objeção até então, pois trabalhar ou não é algo que cabe a cada uma decidir. Porém quando nos deparamos com tal reportagem tendenciosa, e pasmem escrita por uma mulher! Não é algo fácil de engolir, primeiro por todos aqueles motivos que estamos cansadas de elucidar sobre os preconceitos referentes ao gênero, porém após tantas conquistas, muitas de nós mulheres conseguiriam ocupar cargos de extrema importância, como a presidir empresas e inclusive países.

Confesso, que quando li aquela reportagem, não tinha idéia da falta de senso expressada por ela, primeiro, por direcionar a mulher novamente ao lugar que pra muitos não deveria ter saído, no caso o ‘’lar’’ cuidando de maneira correta da casa e dos filhos, sendo bem recompensada com um salão caro e um jantar. Cabe ressaltar que não estou questionando as escolhas de ninguém, apenas o modelo ideal empregado a revista. Também é citado seu diploma de bacharel em direito, o qual ela nunca utilizou e trabalhou pouco, frisando mais uma vez um modelo ideal a ser seguido.

Estamos numa onda de conservadorismo desenfreado, os quais querem pregar a todo custo, seja com matérias tendenciosas, ou com deputados que apóiam a ditadura como o correto, o qual, a mulher deve parar de presidir um país (sem questionamentos políticos, este não é o foco), para voltar a ser a boa e velha dona de casa, atrás da figura do marido, o qual trabalha o dia todo e provém da única renda da família. Aquela que fica cheirosa esperando, com os filhos postos a dormir.

Aquela mulher que trabalha o dia todo estuda pesquisa, arruma o tempo que consegue para ficar com a família, em meio a uma rotina atarefada, não tem vez nessa onda de conservadorismo e retrocesso, os quais muitas mulheres estão sendo coniventes. São tempos difíceis, tempos em que muitos direitos conquistados podem ser esquecidos ou até mesmo ridicularizados.

1 Comentário

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Muito boa matéria! continuar lendo